08 junho 2005

Museu Grão Vasco

O Museu Grão Vasco é um ex libris de Viseu.
Situado junto à Sé, recentemente reconstruído com um belíssimo
projecto do arquitecto Souto Moura, guarda e expõe, entre muitas outras,
as famosas obras de Vasco Fernandes, o célebre Grão vasco.

Há oito anos atrás eu tinha vergonha de mostrar este nosso
museu aos amigos que me visitavam. Não tinha a apresentação
dum museu, era mais um depositário de obras de arte. A iluminação era péssima,
a organização da colecção idem, as funcionárias faziam crochet sentadas
nas cadeiras. Os visitantes eram poucos.

Nestes últimos sete anos Dalila Rodrigues, uma conterrânea
e a directora então escolhida, imprimiu-lhe uma dinâmica nova,
desempoeirada, trouxe exposições, organizou festas, encheu o
museu de gente. Agora foi fazer isto mesmo para Lisboa, para o Museu de
Arte Antiga. Tenho a certeza que fará um óptimo trabalho,
e desejo-lhe, desde já, muitos êxitos.

No dia 2 de Maio assumiu funções a nova directora do Museu. Creio que deve ter
batido algum record, pois em tão pouco tempo, já conseguiu causar mais
polémica que Dalila conseguiu em sete anos. Ana Paula Abrantes cancelou
todas as intervenções e exposições organizadas pela direcção cessante para
o Dia Nacional do Museus, a realizar a 14 de Maio. A explicação que deu
é de bradar aos céus. Afirmou que, em início de funções, não queria chocar os visienses.
Ó minha senhora, não sei como é em Aveiro, de onde vem como
professora duma escola do ensino básico, mas aqui, as pessoas
não se chocam com essa facilidade! Chocam-se sim,
com acções de censura gratuita desta natureza.

Quando reabriu o Teatro Viriato e a Companhia Paulo Ribeiro assumiu a sua
programação e ser companhia residente, uma amiga minha que foi comigo a
um espectáculo de dança, disse-me que o espectáculo era muito bom,
mas não iria ter saída em Viseu.
Depois destes anos continuamos a ter a Companhia Paulo Ribeiro
sempre com os espetáculos esgotados com grande antecedência,
bem como toda a programação do Teatro. Infelizmente já não temos o Paulo Ribeiro
permanentemente por ter assumido a direcção do Ballet Gulbenkian.

Drª Ana Abrantes não é, como disse a um jornal local, a querer atrair a terceira idade ao Museu, que dinamiza a cultura, que leva espectadores ao museu.
É com exposições de qualidade. Com dinamismo.

Somos beirões mas não somos parvos.
Vivemos aqui porque gostamos desta qualidade de vida.
Desta qualidade faz parte a cultura. A cultura apresentada no Teatro Viriato,
no Teatro ACERT de Tondela, no Museu Grão Vasco nos últimos sete anos.

Não nos estrague isto minha senhora!!!!

11 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Não conheço o museu e nem sequer a cidade (and há anos para passar aí...).
Mas este teu post deu-me mais vontade.
Não conhecia o teu blogue. Li um pouco e gostei. Voltarei.
E resolve bem os teus cadilhos...

Tão só, um pai disse...

Temos uma futura vereadora da cultura?

Tão só, um pai disse...

... se sim, apresento-te o teu novo secretário: "me"!

Eva Lima disse...

Amigo TsUP, tu achas q algum partido político quer como seus vereadores dois críticos como nós? Só se fossem masoquistas...

Nilson, volta sempre...

Raquel V. disse...

Cheia de razão Eva :)

Olha que realmente... mas e n há nada a fazer... circular um abaixo assinado pela net... sei lá...


Jokinhas :*

Mitsou disse...

Gostei do que li. E entendo-te perfeitamente. Dinamizar? É um verbo muito poucas vezes conjugado, amiga. Beijinhos doces e não te cales!

Anna^ disse...

Protesto aceite em assembleia bloguista!!! E se o TSuP fôr secretário,claro q vai precisar de quem o secretarie a ele...ora pois claro:Me...myself...I :)

Força amiga!Olha q eu aposto em ti pra vereadora tb!!

bjokas ":o)

Tão só, um pai disse...

EVA, PELA DINAMIZAÇÃO,

ETA*, a proposta dinamizadora da cultura em Viseu!

*ETA
Eva
TsuP
Anna

... hã? Não, não, sr. Pte. da Cãmara, não é para dinamizar a vida nocturna, não Sr. Pte. Como? Também não, Sr. Pte., não temos nennum projecto para esses espaços com moças estrangeiras ... os subsídios são só para os grupos teatrais a sério ...

Eva Lima disse...

Raquel, Aninhas ,Mi, T,
vosas excelências riem-se porque são das metrópoles....nós por cá temos que fazer pela vidinha.

Raquel V. disse...

Não me rio nada :( eu estou enfiada no Barreiro e bem vejo a quantidade de coisas que aqui podiam ser melhoradas...
Excepto a nível de Ilustração Infantil em que me parece que a dinamização cá da zona é óptima.

zezinho disse...

Vim ler o post que indicaste.
Somos da mesma cidade e eu sou jornalista.
Obviamente que tenho conhecimento do caso e na altura própria o jornal deu conta da situação.

Podes anotar: o Voz das Beiras irá erguer a sua voz contra esta déspota ignorante.

P.S. Sou o director do Voz das Beiras. Quererás ponderar a possibilidade de passares pelas instalações e conversarmos um pouco sobre esta matéria? Terei muito gosto.

O jornal fica na rua coração de Jesus - perto do "Monte Belo" -

Deixo-te o contacto telefónico do jornal: 232 423 019