31 março 2006

Pois

Uma amiga costuma dizer que dar o braço a torcer é sinal de inteligência.


Eu devo ter um QI a rebentar a escala!

29 março 2006

Casa Pia

O tribunal decidiu indemnizar as VÍTIMAS da Casa Pia.
Não faz mais que o seu dever, afinal as crianças estavam à guarda do estado.

Mas agora levanta-se uma questão: para haver vítimas tem que haver abusadores.
Não é?

27 março 2006

Stanislaw Lem

Morreu. Um dos meus escritores favoritos de ficção científica. Autor do genial Solaris, Fiasco, Éden, etc.

Porque será

que me sobram despesas?

Vou sentir a falta.

25 março 2006

Mais uma razão para visitar Viseu

Tricotadeiras deste país, juntem-se a nós. Este bar, no centro da cidade, torna-se muito agradável com ou sem tricot.

Vamos tomar um copo e fazer tricot?

Texto de Fernando Giestas

Quero uma cerveja, um livro e as agulhas para tricotar mais um bocadinho do cachecol, por favor.
O pedido, embora ficcionado, faz sentido num bar da cidade de Viseu, denominado Solar das Tradições. Ou SDT, se lido como sigla e de uma forma mais moderna.
As agulhas e a lã, nas mãos dos clientes “artesãos”, estão a construir um cachecol gigante ou comunitário, desde o início do Inverno passado. Agora é Ondina Pinheiro, de 18 anos, que tricota. “Todos os dias faço um bocadinho”. A lã tricotada tem uns nove, dez metros, enrodilhados num cesto.
A estudante é presença frequente no SDT, ao Mercado 2 de Maio. Aprendeu a tricotar com a proprietária do bar, Manuela Moreira, e ela própria já ensinou “muita gente” no manejo das agulhas. “Já é uma moda. Muita gente vem cá de propósito para fazer tricot”. Daí que seja habitual os pedidos para passar a vez. “Olhe, se não se importa, daqui a um bocadinho gostava de tricotar um pouco”. E as cores da lã a utilizar, fornecida pelo bar, também ficam ao critério de quem tricota. “No outro dia estiveram cá umas raparigas que quiseram acabar o cor-de-laranja para mudar de cor”.
Na mesa de Ondina Pinheiro estão os amigos Filipa Ribeiro e Diogo Almeida, também de 18 anos. Ela é habitual “tricotadeira”, ele nem por isso. Mas “há mesmo muitos rapazes que fazem” tricot no bar. Manuela Moreira, autora da ideia, diz que “mulheres, homens, dos oito aos 80 anos, toda a gente pode fazer”, e faz, o cachecol gigante. A ilustrar as palavras estão fotografias, afixadas nas paredes e no tecto do bar, de alguns dos clientes artesãos. “Temos muita gente que vem de fora, Lisboa, Porto Coimbra, para entrar na brincadeira”.
Manuela Moreira gere um “bar um bocadinho diferente” dos demais, onde coabitam música moderna e menos moderna, produtos regionais e capuchas e alfaias agrícolas expostas nas paredes. Trata-se de “dar sequência a tradições antigas” num espaço “que não deixa de ser uma tradição actual”. E há os livros. Explique Manuela: É uma “biblioteca de clientes para clientes”. Um estímulo à leitura com livros dos próprios frequentadores do bar.
ed. 210, 24 de Março de 2006

24 março 2006

Tapetes (ou a falta deles)

Estava a precisar de tapetes novos nos WC's. Vai daí, meti mãos à obra.
Tricot e crochet em "trapos", que é como chamam a estas fitas de desperdício textil.
É bastante difícil de trabalhar - passível de provocar tendinites.

A Nita em novidade


23 março 2006

Novo blog em Viseu

Vão espreitar.
Os bonecos são muito bonitos e fofinhos.

Parabéns Pandora!

21 março 2006

Fica ou sai?

Não me lembro de alguma vez ter concordado com os ministros da agricultura deste país.
A nossa política agrícola sempre primou pela ausência de objectivos, de visão.
De ficar à espera para ver no que dá.
A adesão à CEE trouxe expectativas que não se aproveitaram a seu tempo. Os intervenientes estiveram mais preocupados em chupar subsídios.


Hoje gostei de ouvir Jaime Silva dizer que a nossa agricultura não podem ser subsidiodependente.

Eu diria mesmo mais: não pode haver agricultores que só existem porque há subsídios.

Novas exposições

Os meus bonecos estão, a partir de agora, em exposição/venda na Livraria da Praça e na Casa da Ribeira - Fundação da Câmara Municipal de Viseu para a Protecção do Artesanato onde estão, em exposição/venda permanente, peças de artesanato da região .

Fotografias dos locais serão publicadas assim que o Blogger o permita

19 março 2006

Livraria em festa

A Livraria da Praça comemorou o seu 1º aniversário.
Um fim de tarde muito agradável.
Ofereceram boa música e poesia, distribuindo pelos clientes/amigos a sua tradicional simpatia.
Parabéns por serem uma pedrada neste "charco" cultural viseense!



Os meus bonecos não quiseram faltar à festa

17 março 2006

Mais aniversários...



...e respectivas prendas.
Colegas das filhotas, trabalho da mãe!







Porque será que até a filhota de 7 anos tem uma vida social mais intensa que a minha?

15 março 2006

OPA

Ó pá, e se a Espanha fizer uma OPA à gente?

Cena possível
A batalha em vez de ser em Aljubarrota será na Bolsa de Valores de Lisboa (opção Madrid)

Cena alternativa
Oléééé*!

* de entusiasmo

14 março 2006

Dia de sol

Como hoje, amanheceu solarengo. Depois de uma semana de chuva, nessa Segunda-feira, brilharam os raios de sol.
Pelas sete da manhã acordei com uma moínha no baixo ventre. Levantei-me, tomei banho, preparei o pequeno almoço para a Marta (2 anos e 2 meses), acordei o pai.
Disse-lhe que tínhamos que ir para a maternidade. Não ficou muito convencido.

Faltavam 2 dias para as 40 semanas. Deixámos a Marta na avó e lá fomos. Às 9h entrei.
Na altura pai não entrava! Era apenas assunto da mãe!
Ao primeiro toque rebentaram as àguas.

Batiam as 12 h quando te conheci. Pequenino, muito branquinho, antes de chorares já estavas agarrado à maminha.

18 anos! A maioridade!
Já votas, já podes ser eleito, já podes ser julgado. És grande.
Para mim continuas a ser aquele pequenino que pedia: "fufuras mamã..."

Que a vida te brilhe, como o sol brilhou em 14 de Março de 1988, filhote!

12 março 2006

ai que susto!

1,52m por 55kg.

Há dez anos eram menos 5, há vinte menos 9.
Estou a descobrir um padrão. E não é bonito.

Pois é, aos vinte anos bastava uma noitada e lá se perdia um kg.
Hoje, depois dos 40, teria que correr todos os dias, uma hora no Fontelo, para perder... 500 gr.

E agora? Dieta?
Lá terá que ser.

FUJAM!
A partir de segunda vai haver por aqui uma mulher stressada...

09 março 2006

Há muito, muito tempo...

houve um projecto. Imaginei uma manta quentinha nos meus joelhos invernais. Em pura lã, quadrados trabalhados com tranças e desenhos sofisticados com agulhas nº 2, alternando com quadrados de igual tamanho com gatos estilizados bordados.
Os joelhos continuam sem manta e vão dando graças pelo aquecimento central. Os quadrados foram sendo arrumados numa caixa. Por lá ficaram, sem companhia, sem luz, com medo das traças...

Este transformou-se em almofada. Quentinha, fofinha. Sem gatos.


08 março 2006

Nascimento


Nasceu o bebé N. Filho de dois tripeiros, ferrenhos portistas, pais felizes.
Bons amigos desta amiga vossa.

A prenda foi sendo feita, devagarinho. Crochet escocês, uma técnica que fui aprendendo a fazer. Uma combinação entre o crochet e a tecelagem.

07 março 2006

Coisas dum quintal português...




É o santo que guarda o cogumelo (Amanita muscaria), ou será o contrário?

05 março 2006

04 março 2006

Amor é...

Arranjar e oferecer 12 episódios novos para o eu se deliciar este fim de semana;


Fazer um irmão lindo ao Anacleto;

01 março 2006

De génio e de louco...

Uma ideia loucamente genial.

Um filme que vale mesmo a pena ver!