23 junho 2006

Ano lectivo 20005/2006

O ano lectivo acabou. Ponto.
Vamos ao balanço.

No geral, foi o pior ano lectivo da minha vida de mãe. Pois isto de ser mãe não tem só coisa boas.

- A filhota grande não concluiu todas as cadeiras da faculdade. Provavelmente terá que repetir o 2º ano.

- O filhote grande anulou a matrícula do 12º ano. Nunca tinha tido negativas mas este ano começou logo mal. Não se encantou com a Física, juntou-lhe um namoro mal resolvido e foi vê-lo ir por aí a baixo.
Na Páscoa achámos que seria melhor repetir o ano.
Todos me dizem que não é problema de maior repetir um ano, que só tem 18 anos.
Provavelmente é verdade, mas a primeira vez é sempre difícil.

- A filhota mais pequena concluiu com êxito o 2º ano. Foi avaliada com uma bateria de muito bom's. No entender da sua excelente professora é uma aluna interessada, participativa, com uma capacidade muito superior à média, destacando-se pela seu carácter de liderança. (Não sei muito bem o que isto quer dizer: será o seu apurado gosto de mandar e dar opiniôes?)

- O filhote caçula termina o seu primeiro ano de infantário.
Com êxito?

Adaptou-se bem ao novo, sem conflitos de maior. Gostou da educadora e auxiliares.
Para meu espanto não contraiu nenhuma doença das habituais no primeiro ano de frequência escolar. Ao todo faltou 11 dias por viroses sem gravidade.

Eu não gostei!
Não gostei do infantário e reinscrevi-o em dois outros infantários para o próximo ano, um dos quais onde não teve vaga este ano e frequentado pela irmã durante três anos.
Não gostei das instalações e funcionamento. As educadoras (funcionárias do Ministério da Edudação) faltavam imenso, sempre a queixarem-se das condições e da ministra, mas todas as actividades realmente interessantes foram feitas pelas estagiárias. Inclusive não houve festa de fim de ano - o estágio já tinha acabado!
Assim que as estagiárias se foram embora aquilo mais parecia em estaleiro de crianças: tv, jogos sem orientação, dvd's.

Espero sinceramente que entre noutro infantário!


Para o ano há mais!

7 comentários:

Sandra disse...

Olá,
cheguei aqui pelo comentário que deixou num outro blog, e vi que tem filhotes que já passaram pela adolescência.
è que o meu tem 13 anos e dá comigo em doida, o mais pequeno tem quase 3 e é bem traquina...

:)
Ai o final de ano...Ele chumbou no ano passado por pura preguiça, com o mínimo de negativas necessárias para o chumbo.
Este ano andou nos suficientes e nos 3's nas pautas. Na 1ª volta dos testes deste periodo teve negativas, na 2ª volta "bom" a quase todos.
Hoje disse me assim:
Ah, não sei se não terei 4 negativas! E a rir!
Ai vida a minha...

Qt ao infantário do seu caçula sei bem o que quer dizer, porque o meu pikeno tb se farta de ver Tv e DVD...

:)

beijinhos
Sandra

aos meus olhos disse...

Ai Eva!!
Muito alusivo ao nome da tua página eu digo QUEM TEM FILHOS TEM CADILHOS. Não me queixo das notas das minhas mas temos sempre pequenos problemas com eles.
E quanto ao repetir anos deixa lá, não vem daí mal ao mundo. Começar a trabalhar cedo? Pra quê? Para lhes acontecer como nós e terem que trabalhar 40 e tal anos??? Olha eu já estou por tudo!!

Bjitos e bom fim de semana

ana

alexandra disse...

o infantário da G. deixava-me louca. não achava possivel tal falta de profissionalismo. não tiveram sequer festa de Natal porque os meninos andavam "muito ocupados". organizaram apenas um lanche e para lá fomos todos para ver os meninos a comer.Nem uma cançãozinha de Natal. a árvore foi feita à pressa nesse dia para os pais verem.O trabalho manual feito pela professora e auxiliar, os meninos não tocaram em nada. Os (poucos) desenhos na parede estavam colocados a uma altura que os olhinhos deles não alcançavam. Durante o almoço uma auxiliar disse à g. que ela era adoptada, que eu "não era a mãe verdadeira", os meninos começaram a chamar-lhe cara de chocolate. confrontei a educadora com estas situações ao que ela me respondeu: "Tem que se habituar!" Muitos dos pais com quem conversei estavam também descontentes. Muito descontentes. Em nenhum momento o demonstraram na escola, ou por desinteresse, ou porque para todos os efeitos aquele era o único local em que eles, com empregos, poderiam deixar os filhos. Eu tive a nítida sensação de que se aquela escola fosse privada os pais seriam exigentes, porque quereriam fazer valer o seu dinheiro.E é isso que me irrita... Felizmente fomos embora em Janeiro. Nessa altura a educadora já mal olhava para a minha cara....
As reprovações dos teus filhos Eva podem ter um lado positivo. A mais velha poderá estar a concluir que talvez esse não seja o curso mais certo. Aconteceu com o meu irmão mais novo. Anos depois de ter entrado para a faculdade, cadeira atrás de cadeira a ser deixada para trás para ao fim de 4 anos se decidir pela mudança de curso e estar agora a terminá-lo com notas absolutamente brilhantes. Fazem os miudos decidir muito cedo. Se não for esse o problema será de facto mais proveitoso parar e fazer as cadeiras em atraso do que tentar fazer tudo de uma vez.E todos temos direito a abrandar o nosso ritmo de vez em quando e falhar um bocadinho.E quanto ao rapaz, ah os amores são uma coisa terrivel. E na adolescência...ah pode ser um verdadeiro drama!!!! MAs pelo que vou lendo no blog, acho que eles têm uma sorte tremenda em ter uma mamã assim, ali ao lado, a desapacientar-se!

Costinhas disse...

Para o ano há mais... e esperemos que seja melhor!!!

Beijos grandes

Bekas C. disse...

Epá.... realmente não correu lá muito bem não....
Mas para o ano há-de correr melhor!!
;)

Mãe Frenética disse...

Tens 4 filhos?
Com diferenças tão grandes?

Ainda tenho muito para crescer, realmente... :))

Anna^ disse...

"Filhos criados,trabalhos dobrados"!! Mas pq q tinha de ser assim?
Para o ano há mais,e pensa q podia ter sido pior.Agora há q encher a bagagem de ar renovado e esperar :P

bjoka grande ":o)