24 janeiro 2008

Ser - português -ser

Depois duma semana passada em salas de espera - centro de saúde, urgência hospitalar, agência de seguros e consultórios médicos, com dezenas de pacientes portugueses constato:

- somos um povo triste, apático, sem coluna vertebral;
- só nos queixamos depois de sair porta fora;
- nunca contradizemos um sr. dr. em medicina;
- a disciplina mais frequentada nas faculdades de medicina portuguesas deve chamar-se arrogância;
- 99,9% dos portugueses, mesmo sabendo antecipadamente que vão estar horas à espera numa sala, não levam nada para fazer. Limitam-se a estar sentados com as mãos no regaço, a mexer/falar em voz altíssima ao telemóvel ou a descrever em pormenor as suas/família/vizinhos/conhecidos supostas maleitas para quem quer (ou não) ouvir.


Não encontro diferenças com o que escreveu há 112 anos Guerra Junqueiro em "Pátria" em 1896


"Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio, fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora, aguentando pauladas, sacos de vergonhas, feixes de misérias, sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia dum coice, pois que nem já com as orelhas é capaz de sacudir as moscas; um povo em catalepsia ambulante, não se lembrando nem donde vem, nem onde está, nem para onde vai; um povo, enfim, que eu adoro, porque sofre e é bom, e guarda ainda na noite da sua inconsciência como que um lampejo misterioso da alma nacional, reflexo de astro em silêncio escuro de lagoa morta. [.]

10 comentários:

Tina disse...

estou de acordo com cada ponto e virgula!!!!!!!Bom fim de semana.

CLS disse...

É mesmo isso, fico doida quando vou ao centro de saúde e ouço "ai que o dr. hoje tá mal disposto e já gritou com fulana e tal...", o que é que eu tenho a ver com a má-disposição dele?! Nunca fui mal recebida pelo meu médico de família, ai dele que alguma vez o fizesse que eu perguntava-lhe logo quem é que está ali a pagar-lhe o salário, era limpinho! Mas é triste ser assim como dizes, muito triste!

aos meus olhos disse...

Como a cls diz, é realmente muito triste, mas o relato de mil novecentos e troc'ó-passo retrata-nos (nem a todos) muito bem. Mas tbm há muita gente (como tu e eu) com olhos na cara, capazes de responder à letra e ter comportamentos mais normais... Ou estou enganada?? Quero crer que sim!
Bjitos e bom fim de semana
ana

aos meus olhos disse...

ou "mil OITOcentos e troc'ó-passo"

Rita Quintela disse...

Eu podia ter escrito este post...

Pandora disse...

Bem... evoluir não é o nosso forte. He, he, he.
Beijos.

Liliput disse...

Sinto precismente a mesma coisa. O pior é que esta cultura faz parte da nossa!

Brikebrok disse...

vá lá, vá lá não somos assim tão beras ... mas essa de não levar nada para ler nem no médico nem noutro sitio onde se espera, "com as mãos no regaço" é uma imagem recorrente, de facto, porque será ? ...

Tereclopes disse...

Tal e qual em relação às mãos no regaço. Quanto ao resto penso que já há muita gente não acomodada que refila e faz ouvir a sua discordância sobre o que não lhe agrada ...

Carla O. disse...

Duro, mas (infelizmente)verdadeiro.
Beijinhos