14 dezembro 2007

Viseu com iniciativa

Casinhas no Rossio para saborear o Natal


A quadra natalícia na cidade de Viseu promete, este ano, ser mais apetecível. Duas dezenas de "casinhas" ou "tasquinhas" vão abrir as portas no Rossio, entre 14 e 31 de Dezembro, recheadas de iguarias de comer e chorar por mais. E não faltarão, para combater as baixas temperaturas, bebidas que irão desde a popular cerveja ao inevitável vinho do Dão, passando ainda pelos licores e cacau quente. A ideia, importada do norte da Europa, promete "revolucionar" os hábitos natalícios dos viseenses.

A novidade, integrada no programa "Viseu a Minha Terra Natal", foi revelada, ontem, pelo presidente da autarquia, Fernando Ruas, que reconheceu ter "importado" a ideia numa deslocação à Alemanha. "É uma tradição arreigada nos países do norte da europa, que não temos pejo em copiar", confessou.

Construídas em madeira e decoradas com motivos natalícios, as casinhas serão instaladas na principal praça da cidade, o Rossio, em colaboração com a Associação dos Comerciantes do Distrito de Viseu e Região de Turismo Dão Lafões.

A animação decorrerá diariamente, entre as 11 e as 20.30 horas, à excepção dos dias 24 e 31 de Dezembro, em que estarão abertas entre as 11 e as 18 horas.

Em paralelo, a cidade e concelho serão invadidos por mais de duas dezenas de espectáculos, exposições, animação de rua, encontro de artes e iniciativas dirigidas aos mais novos.



Presépio vivo encenado por Graeme Pullyn

Com a assinatura do reconhecido actor e encenador, Graeme Pullyn, o presépio vivo é outra novidade do Natal deste ano. Algumas passagens "mais esquecidas" do nascimento de Jesus serão reproduzidas, a 21 de Dezembro, em vários locais da cidade.

Teresa Cardoso in Jornal de Notícias

5 comentários:

aos meus olhos disse...

Olá Eva, há quanto tempo!! Bem, bem... isso por aí vai ser festa e animação a sério!! Por aqui nem sei se vai haver alguma coisa, é que nem estou cá nem lá...
Bjitos pra vós todos.
ana

as-nunes disse...

Tenho mesmo que ir a Viseu. Com urgência. Preciso de estar com os meus pais, o meu irmão Vitor e família. Preciso de sentir a minha terra, de braço dado, que à distância, ela aqui permanece, forte, no meu coração.
Bj
António

Mamã Martinho disse...

Epá, já tou com pena de não estar ai! Agora vais ter de me dar um informação. Por acaso tens algum link ou mais informação sobre o Graeme Pullyn?

Bjs

Mónica

Nilson Barcelli disse...

Excelentes iniciativas.
Viseu em Lisboa parece apetecível...
Um feliz Natal e um óptimo 2008 para ti e para a tua família.
Beijinhos.

Eva Lima disse...

Oh Nilson, o Rossio aqui não é o de Lisboa mas o Rossio de Viseu.
Província sim mas com Rossio....